28 de ago de 2012

EMBU DAS ARTES – ESTÂNCIA TURISTICA


Embu é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo. Possui população estimada em 2011 de 240.237 habitantes.

O nome Embu  vem de M’Boy, cobra grande em tupi-guarani, “das Artes” foi acrescentado por conta da feira de artes iniciada em 1969 por um grupo de artistas locais, e hoje é conhecida dentro e fora do Brasil.

A cidade teve origem em uma aldeia indígena, que se transformou em vila com chegada dos jesuítas na região,  os padres começaram a fabricar, com a ajuda dos índios, móveis, utensílios, oratórios e imagens sacras e instalaram uma escola de artes e ofícios, desde então, artistas tem eleito o local para montar seus ateliês, galerias e antiquários.

MONUMENTOS

NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO- formado pela igreja e pela antiga residência dos padres, conjugadas numa mesma edificação. Trata-se de um dos mais importantes e preservados remanescentes das construções jesuítas em São Paulo, caracterizadas pela simplicidade das linhas retas, começou a ser construída por volta de 1700.

MUSEU DE ARTE SACRA- a construção do convento anexo à igreja Nossa Senhora do Rosário. Sua arquitetura apresenta características do estilo barroco paulista e um acervo rico em imagens de anjos, santos e personagens bíblicos, quase todos entalhados em madeira, modelados em terracota ou em armações em roca, produzidas entre os séculos XVII e XIX.

A principal obra do museu é o "Senhor Morto", esculpido em uma tora de madeira, bem como as iamgens de Nossa Senhora das Dores e da Santa Ceia, em roca, de autoria do Padre Macaré. As demais obras foram esculpidas pelos jesuítas e índios.

CAPELA DE SÃO LÁZARO- a origem da Capela de São Lázaro está ligada à uma imagem do santo esculpida em madeira pelo artista Cássio M'Boy, nos anos 20.

CENTRO HISTÓRICO- no Centro Histórico, encontra-se grande quantidade de galerias de arte, móveis rústicos e lojas de artesanato. Uma grande variedade gastronômica de comida típica brasileira e culinária internacional.

CENTRO CULTURAL MESTRE ASSIS DO EMBU- oferece ao público, gratuitamente, acesso à arte, cultura e ao conhecimento. Ocupa, hoje, o histórico prédio da prefeitura. Nele, o público tem à disposição três salas para exposições, um auditório, destinado a palestras, recitais, espetáculos musicais e teatrais.
Instalada em frente ao Centro, fica a tenda Embu das Artes ao Vivo, onde artistas do município montaram uma extensão de seus ateliês, possibilitando ao público acompanhar em tempo real todo o processo criativo de pintores, escultores, ceramistas e forjadores da cidade.



ARTESANATO

Podemos dizer que a tradição artística da cidade remonta ao tempo dos jesuítas, a tradição de fazer santos. Nos anos 20, o  artista Cássio M'Boy  fixa residência em Embu e em 1937, ele ganha o primeiro grande prêmio na Exposição Internacional das Artes Técnicas, de Paris.


Aos poucos, outros artistas começam a chegar a Embu, formando um grupo que iria movimentar a cidade nos anos 60.

O lavrador japonês Tadakiyo Sakai, que mais tarde seria chamado de Sakai do Embu, foi reconhecido internacionalmente como escultor em terracota, Sakai iniciou-se nas artes em 1951, sob orientação de Cássio M'Boy e dos escultores Bruno Giorgi e Victor Brecheret.


Em 1959, atraído pelos nomes de Cássio M'Boy e Sakai, o escultor Claudionor Assis Dias, ou Assis de Embu, chega em Embu. No seu atelier, começa a dar aulas de escultura em madeira, pedra e bronze, transformando-o num verdadeiro núcleo de produção de arte.

Aos poucos, mais e mais ateliers foram aparecendo na cidade, acompanhados de antiquários, lojas de artesanato e de móveis rústicos e restaurantes. Tudo isso, aliado ao charme do casario colonial do centro da cidade, transforma Embu numa agradável opção de passeio para quem está em São Paulo.



Ocupando toda a área central da cidade, a feira convida o visitante a passear entre o casario típico do período colonial brasileiro e todos os cantinhos próximos ao centro histórico, observar a beleza da arquitetura colonial, as ruas de pedras e suas simpáticas vielas.


A arte espalha-se por toda a cidade, sendo possível encontrar plantas e flores ornamentais, bijuterias, pinturas, porcelanas, artesanatos variados e todo tipo de bugigangas imagináveis, para agradar a todos os gostos.