4 de ago de 2011

O NASCIMENTO DE ALAGOAS



Alagoas nasceu sob luta e a marca do inconformismo........viu passar muitas bandeiras de captura e extermínio  de tribos indígenas..........passou a viver uma segunda fase do processo colonizador....... a exploração da cana de açúcar e a criação de gado...........ambas exigindo grandes extensões de terra......... os latifúndios.

Os nativos e os negros que chegam para trabalhar nas propriedades, são impelidos a se socializar.........prejudicando suas identidades étnica e cultural.........o modo de vida..........e suas relações sociais.........sua cultura é combatida, são forçados a esquecer a ferro e fogo.

Os primeiros núcleos da colonização..........as primeiras vilas........substituem o antigo mundo dos nativos e dos africanos............oferecendo um novo espaço sedentário e com  a cara do colonizador...........as habitações antes ocas e tabas............evoluem para construções diferentes, mas igualmente frágeis..........em terreno elevado..........próximo de rios e florestas de onde tiram o sustento...........são feitas a semelhança das antigas choças de adobe e cobertas com palha..........até que mudam para casas em que utilizam pedras revestidas com barro. 

E nesse mundo rural........patriarcal..........açucareiro.........pecuário, oque sobressai é o domínio da casa-grande..........a residência dos donos da terra, dos escravos domésticos e dos índios mansos...........geralmente situada em uma encosta com a capela, atestando a fidelidade a Deus ou ao santo preferido.

O engenho ou a casa do gado.........geralmente próximo ao curso dágua ............fornece a matéria prima para a sobrevivência dos moradores e  para a fabricações dos produto da propriedade e o escoamento dos produtos de exportação, era como uma verdadeira estrada liquida. Finalmente a senzala......... onde moram os outros escravos..............um aglomerado de casas continuas feitas de taipa, simples, sem maiores cuidados.........com uma só entrada para melhor vigilância dos feitores e a diminuição dos custos.


Era enorme o contraste entre a construção da casa-grande e a senzala......as casas-grandes tinham paredes muito espessas para defende-las do ataque dos inimigos e da inclemência do clima tropical.......muito quente e úmido. Os alpendres ou varanda forneciam a sombra necessária.........era o lugar ideal para se colocar as redes e as preguiçosas..........como era chamado certo tipo de cadeira..........de onde se dava as ordens aos escravos e aos agregados...........empregados mais próximos da casa –grande.

As casas-grandes..........inicialmente edificadas em taipa e adobe, com o tempo tornaram-se construções mais solidas de alvenaria........usando tipo de tijolos gigantes e pesados.........ainda encontramos preservado o Jenipapo........em Maragogi.


Em Pilar temos..........o Engenho Salgado e nas unidades do norte.........em Passos de Camaragibe e Maragogi.........encontramos ruinas das moradas dos negros. Ë interessante como as casas dos fazendeiros...........proprietários de terras hoje............e as de seus empregados, reproduzem quase fielmente as condições das antigas casa senhoriais e as dos seus escravos.

Quanto às capelas...........encontramos mais exemplares......principalmente do século XIX............como as do Engenho Lamarão..........Furado.......Terra Nova..........Riachão.........Marrecas..............no entanto cada vez mais o processo de expansão das usinas e o aumento da população expandindo para  a área urbana...........vão destruindo as marcas do passado de Alagoas.

Tanto quanto os seus substitutos nas cidades.........sobrados como os de São Miguel dos Campos..........Pilar............Marechal Deodoro.........Penedo e Maceió.........vão pouco a pouco sendo degradados, abandonados e se tornando peças raras.


Por outro lado..........nas grotas e nas zonas mais pobres.........proliferam as favelas, com moradias precárias, onde as pessoas não tem  a menor privacidade, substituem os tipos de mocambo de outrora.........uns cobertos com palha de cana ou com capim – açu.........outros com palha de coqueiro, e ainda outros com madeira e palha.