27 de jul de 2011

ALAGOAS E SUA HISTÓRIA - PARTEII


As vilas e povoados nos três primeiros séculos no nordeste..........eram as igrejas com suas sineiras no horizonte..............depois....... as casas dos mais abastados.......e por último.........o casario de paredes brancas pintadas a cal, da mesma maneira como se fazia nas aldeias lusitanas..........o casario serpenteava nas colinas, chegando a praças, unindo, no circular igrejas e capelas.........ao redor............o canavial deixava verde a paisagem..........e se escutava os rangidos das rodas dos carros puxados por juntas de bois.

As moendas e engenhos eram protegidos por grandes telhados.........formavam novos núcleos de habitações no  meio rural....... estavam também aí as casas-grandes e as senzalas............os engenhos não eram distribuídos nas terras aleatoriamente mas estavam ligados a um sistema econômico que determinava o lugar .

As festas eram parte integrante dos eventos das sociedades urbana e rural................festa de São João.......... Santo Antônio e ainda o Natal de Jesus........festas religiosas e profanas ..........a criatividade e a devoção dos festejos eram impregnados da memoria europeia........... cores que se vestem de barroco na riqueza dos bordados.......em nada diferentes daqueles que constituíam a ornamentação dos altares e dos interiores de igrejas e casas.


O gradual desaparecimento dos engenhos desmontou a paisagem rural e a vida que nela respirava colônia..........as casas-grandes tornaram-se inúteis e caem em ruinas............termina o encanto e um pouco do folclore das festas e das devoções ........resta apenas um pouco de poesia lúdica  nas pessoas que mantem o reisado, a chegança e outras manifestações que deixam gradualmente o povo e se tornam atração para o turismo...........um novo publico que deseja antes de tudo diversão...........diversão nada fiel ao tempo da criação do jogo entre o profano e o sagrado.