26 de jun de 2011

ARTESANATO EM ALAGOAS


A natureza criativa do homem se elabora no contexto cultural. Todo indivíduo se desenvolve em uma realidade social, em cujas necessidades e valorações culturais se moldam os próprios valores de vida...........a sua criatividade representa as potencialidades de um ser único............... “OSTROWER, Fayga”



A identidade de um povo é a sua cultura....... O artesanato brasileiro é um dos mais ricos do mundo e revela usos, costumes, tradições e características de cada região do país.......esse tipo de arte não é somente popular .........mas tem vários elementos da arte clássica.........ganhou através dos séculos características regionais.....e hoje é o artesanato que conhecemos..........rico em variedades...........formas..............tendências e estilos.......esse tipo de arte tem um senso de estética diferente, precisa ser valorizada e preservada.


Os produtos artesanais, em cada estado, sofrem variação de acordo com a presença e ou abundância dos materiais.


Alagoas é um lugar onde a história e  a cultura se encontram........ artesãos do litoral .........zona da mata........do agreste ......e sertão.........o artesanato feito com materiais diversos está ligado às formas de arte popular e trazem, em sua materialidade, elementos expressivos de nossa cultura.


Muitos artefatos de pesca são fabricados em 34 municípios de Alagoas.........tipos de redes de pesca, jererés e puçás para pescar crustáceos e peixes pequenos.............instrumentos musicais -como o bombo e a zabumba-...... em teares rudimentares redes de algodão e redes em caroá....... na cestaria ...........esteiras, bolsas, cestas e tapetes ........na madeira .........canoa, móveis, e também elementos figurativos como esculturas......no couro seleiros, sapateiros e chapeleiros.......nos metais........facas, funis, fogões e lampiões, entre outros objetos.......alem dos cocos e cabaças .......utilizados para diversos fins........na tecelagem redes, mantas e tapetes e nas rendas renda de bilros.......tecelagem em labirinto......as rendas e os bordados estão entre os que mais se destacam dentro e fora do estado.......a apresenta grande diversidade de bordados, minuciosos e criativos.


 O bordado tem componentes coletivos..........mostrando sociabilidade técnica e cultural......as rendeiras e bordadeiras de Alagoas estão entre as melhores do país, com a Renascença, a renda de Bilro, o Filé e o Bico Singeleza.........os municípios de Marechal Deodoro e Pontal da Barra........ bordados sobre o linho branco........em Caldas de Cipó e Tucano.........- confecção de rendas (de bilros, labirintos e filés), e a tecelagem ornamental-........... em Palmeira dos Índios, Porto Real do Colégio, Água Branca e Igreja Nova..........-peças de barro......potes, jarras pintadas com tauá vermelho e branco e moringas em formatos antropomórficos.......em Tanque d’Arca, Penedo e Passo de Camaragibe........ peças de cerâmica.


Vale a pena conhecer e visitar as Feirinhas na Pajuçara.........o Mercado do Artesanato........e os diferentes locais onde estão os artesãos.........vale mais ainda ter um tempinho para conversar com os .eles e  escutar as suas historias....seus causos............sua história de vida  e aprender um pouquinho mais sobre esse povo criativo e trabalhador.




21 de jun de 2011

RECEITINHAS PARA O SÃO JOÃO



Como estamos no mês junino, nada mais justo colocar aqui algumas receitas típicas das festas de São João do nordeste.......
A mesa farta é símbolo da celebração pela renovação do plantio e agradecimento pelas chuvas que trouxeram um bom resultado na colheita.......






BOM-BOCADO DE MACAXEIRA
 
250g de massa de aipim cozido com sal
100g de manteiga (derretida)
100g de açúcar
2 ovos
150g de coco ralado
50g de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de fermento

Peneire a massa do aipim em peneira grossa ou passe no espremedor de batatas. Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme. Em seguida acrescente as gemas, uma por uma, batendo bem o coco ralado, o aipim e as claras em neve, mexendo sempre com colher de pau, até formar consistência pastosa. Coloque a massa em forminhas untadas com manteiga e polvilhadas com farinha de rosca e leve ao forno.

Tempo de assar: 25 min 

Temperatura do forno: 150°C


PAMONHA DOCE 

12 (doze) espigas de milho verde
1 (um) copo de água
2 (duas) xícaras de açúcar
1 (uma) xícara de coco ralado fino
1 (uma) pitada de sal
palhas para a embalagem

Rale as espigas ou corte-as rente ao sabugo e passe no liquidificador, juntamente com a água
Acrescente o coco, o açúcar e mexa bem
Coloque a massa na palha de milho e amarre bem
Em uma panela grande ferva bem a água, e vá colocando as pamonhas uma a uma após a fervura completa da água
Importante : a água deve estar realmente fervendo para receber as pamonhas, caso contrário elas vão se desfazer
Cozinhe por mais ou menos 40 minutos, retirando as pamonhas com o auxílio de uma escumadeira
Deixe esfriar em local bem fresco
Sirva com café e queijo ralado

CANJICA

1/2 kg de milho para canjica
1 lata de leite condensado
Água o quanto baste
1 l de leite fervendo
2 unidades de canela em pau
5 cravos da índia
Casca de 1/2 laranja ou limão
Açúcar se precisar
1 xícara ( chá ) de amendoim torrado e moído

Escolha o milho para a canjica, lave bem e deixe de molho de um dia para o outro
Coloque o milho em uma panela de pressão
Encha de água deixando faltar uns 2 dedos de água\
Junte a canela, os cravos, e o pedaço de casca de laranja ou limão
Deixe cozinhar na pressão por uns 40 minutos (o milho deve ficar bem macio)
Tire a casca da laranja, a canela e os cravos
Junte o leite fervendo, o leite condensado e mexa bem com uma colher de pau
Deixe cozinhar até os grãos ficarem bem macios e a canjica ficar com uma textura bem cremosa
Antes de desligar teste o doce, se precisar coloque açúcar a gosto e deixe cozinhar mais um pouco, junte o amendoim não se esquecendo de mexer sempre para não grudar no fundo da panela

Dica: se preferir, ao invés do amendoim coloque um vidro de leite de coco.

MUNGUNZÁ DOCE 1

2 cocos
4 xícaras de água fervendo
500 g de milho branco ou amarelo
2 xícaras de açúcar
3 paus de canela
6 cravos
1 pitada de sal
1 colher de sopa de manteiga

Separe de véspera o milho branco e deixe de molho na água
Rale os cocos e esprema, até obter um caldo grosso e reserve
Despejar a água fervendo sobre o bagaço do coco, e esprema, assim terá um caldo fino
Numa panela leve ao fogo o milho branco e o leite fino, e deixe cozinhar até o milho ficar macio (se necessário acrescente água para não deixar secar o caldo)
Coloque o leite de coco grosso e deixe cozinhar mais um pouco até virar um creme
Tempere com açúcar, cravo, canela, sal e a manteiga
Misture bem e sirva

MUNGUZÁ DOCE 2

250 g de milho para canjica amarelo
Água suficiente para cozinhar
2 colheres (chá) de sal
1 canela em pau
500 ml de leite de coco
1 lata de leite condensado
3 cravos-da-índia
Canela em pó para polvilhar

 


Coloque o milho em um recipiente com água e deixe de molho por aproximadamente 10 horas para o milho amolecer um pouco.
Escorra o milho e coloque na panela de pressão.
Acrescente o sal e água até
que cubra. Feche a panela e deixe cozinhar por aproximadamente 40 minutos.
Em seguida, destampe a panela, e adicione a canela, o leite de coco, o leite condensado e os cravos. Deixe ferver com a panela aberta até reduzir o caldo. O ideal é que o munguzá fique mais cremoso.
Ponha em um refratário ou em tacinhas individuais e polvilhe com a canela em pó. Sirva quente.

BOLO PÉ DE MOLEQUE

1 kg massa de mandioca
200 g de castanha
200 g de amendoim
1 xícara de café solúvel forte
3 xícaras de açúcar
1 coco seco passado no liquidificador
2 margarina de 250 g cada
10 ovos
50 g de cravo da Índia
50g de erva doce triturado

Bata bem o açúcar, os ovos inteiros e a margarina
Depois coloque a massa já lavada e peneirada, triture a castanha o cravo e o amendoim
Despeje dentro da massa coloque o café, o leite de coco e a erva - doce
Reserve castanha para enfeitar o bolo
Leve para forma untada e enfeite com as castanhas
Forno quente (180º graus), quando o palito estiver limpo estar no ponto de retirar do forno desenforme com ele quente

TORTA JUNINA

Massa:
2 embalagens de 100g cada de Coco Ralado
1 embalagem de 200ml de Leite de Coco
½ xícara de chá de leite
8 ovos
200g de margarina
400g de açúcar refinado
600g de farinha de trigo com fermento
1 xícara de chá de uvas passas
Recheio:
1 embalagem de 100g de Sweet Coco
1 lata de 200ml de doce de leite pastoso
suco de limão

Cobertura:
3 embalagens de 100g cada de Sweet Coco para decorar
1Kg de creme vegetal
2Kg de açúcar glacê

Massa: Bata o açúcar, a margarina e os ovos até formar um creme. Adicione o restante dos ingredientes e bata mais um pouco. Leve para assar em fôrma retangular untada e polvilhada.
Recheio: Misture todos os ingredientes, menos o suco de limão.
Cobertura: Misture todos os ingredientes.
Montagem: Corte a torta ao meio, coloque o recheio e o suco de limão. Cubra com o creme e salpique com o Sweet Coco 

BOLO DE MACAXEIRA 1


½ kg de mandioca crua ralada
2 ½ xícaras de açúcar
1 coco ralado ou 1 vidro de leite de coco
3 ovos
2 colheres (sopa) de manteiga
200 ml de leite
1 pitada de sal

Bater todos os ingredientes no liquidificador. Colocar em forma com furo no centro, previamente untada com margarina. Assar em forno médio por aproximadamente 25 minutos. Verificar se o bolo está pronto, espetando um palito que deve sair seco. Desenformar depois de frio.

BOLO DE MACAXEIRA 2

500 gr de mandioca cozida
1 unidade de coco
50 gr de manteiga
500 gr de açúcar
sal a gosto

Esprema a macaxeira num pano e passe a massa numa peneira
Rale o coco e retire o leite sem água
Coloque uma pitada de sal e uma colher (50 gramas) de manteiga ou margarina
Leve ao forno quente para assar numa fôrma untada com manteiga ou margarina.

PÉ-DE-MOLEQUE

1 kg de massa de mandioca molhada
Açúcar mascavo a gosto
1 pitada de sal
2 ovos inteiros
leite grosso de 2 cocos ralados
2 colheres de sopa de manteiga

Misturar tudo e acrescentar moídos: castanha, cravo, erva-doce. Untar a forma com margarina ou palha de bananeira. Levar ao forno quente em média 40 minutos. Para melhor sabor, sirva-o com café.

QUEIJADINHA DE TABULEIRO SUPER FÁCIL E DELICIOSA

2 copos de açúcar
½ litro de leite
4 ovos
100g de queijo ralado
100g de coco ralado
2 colheres (sopa) bem cheias de farinha de trigo
1 colher (sopa) de manteiga

Bata no liquidificador: o açúcar, o leite, os ovos, o queijo ralado, o coco ralado, a farinha de trigo e a manteiga. Despeje a mistura na assadeira bem untada e levar ao forno pré-aquecido até dourar, aproximadamente 30 minutos. Desenforme frio. Corte em quadradinhos e polvilhe com açúcar.
PAÇOCA FACIL

1/2 kg de amendoim torrado e moído
1/2 kg de biscoito maizena triturado no liquidificador
2 latas de leite condensado
2 colheres de chocolate em pó

Misture todos os ingredientes e coloque
em um tabuleiro retangular. Alise bem.
Cubra com papel alumínio e deixe na geladeira por 1 hora.
Corte em quadradinhos.
Poderá também gostar d

CUSCUZ DE TAPIOCA 

2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de tapioca
1 xícara de(chá) de açúcar
1 litro e 350 ml de de leite fervendo
200 g de coco ralado fino
1 lata de leite condensado

Misture a farinha de tapioca com o açúcar e a metade do coco ralado, coloque em um tabuleiro com a medida 23 X 35 cm
Ferva o leite e despeje por cima da mistura anterior, misture muito bem até ficar bem cremoso
Tampe ou abafe embrulhando em um pano de prato ou toalha de cozinha
Quando esfriar espalhe o restante do coco ralado por cima e sirva com leite condensado



18 de jun de 2011

SÃO JOÃO NO NORDESTE - FESTA JUNINA




Cada pedaço do Brasil é como se fosse um país diferente........um pouquinho de nossas raízes em cada lugar........sempre imaginamos que em todo o Brasil as festividades tradicionais são comemoradas de maneira igual.......afinal somos um só país de norte a sul.



A festividade junina mesmo sendo trazida para o Brasil pelos portugueses durante o período colonial, com grande influência de outras culturas........misturou-se aos aspectos culturais do povo brasileiro............indígenas, africanos e imigrantes..........e em cada região do país adquiriu características próprias.....São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Goiás e as festas da Região do Nordeste.


A época das festas juninas no Nordeste coincide com o período de chuva...........é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos......São João.....São Pedro e Santo Antônio......como é uma região muito seca, o povo aproveitava as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura..........os índios também realizavam rituais para que a colheita fosse farta.............os dois estilos se juntaram e as festas ganharam  uma nova forma.


Ë na região nordeste que as festas ganham maior expressão.........as festas juninas ou São João.......como é chamado no Nordeste........ têm a mesma popularidade que o carnaval....... as festas de peão ou de Parintins.

O São João..........tem grande importância na vida social nordestina....... é o carnaval do sertão.......muitas cidades se preparam o ano todo ......as maiores festas chegam a reunir mais de 1 milhão de pessoas........outras mais simples são feitas no quintal de casa com a presença de amigos, familiares e vizinhos.


Com o tempo, as tradições foram adaptadas.....hoje as centenas de quadrilhas juninas se apresentam com performances de carnaval. O forró........baião........ xote..........reizado.......samba-de-coco e as cantigas também são típicos do São João do nordeste.......podemos ver também o forró tradicional, tocado com instrumentos antigos como a matraca e o pandeirão   e     as tradições folclóricas como o bumba-meu-boi e o tambor de crioula.


Hoje........o São João ganhou popularidade por todo o Brasil ......deixou de ser estritamente rural e passou as áreas urbanas...... é muito comum ver grupos festeiros. andando e cantando pelas ruas das cidades....nos shoppings......praças......a comemoração do São João no nordeste é tão importante que o comercio ....shoppings.....lojas de marcas .......propagandas na TV.....tudo gira em função do São João.


O São João ocorre em todas as cidades do nordeste e também em cidades pólos  como.......Cachoeira Cruz das Almas, Piritiba e Senhor do Bonfim na Bahia.............Mossoró no Rio Grande do Norte..........Maceió em Alagoas.........Recife em Pernambuco........Aracaju em Sergipe........Caruaru em Pernambuco..........Campina Grande na Paraíba........Juazeiro do Norte no Ceará e Cametá no Pará.


14 de jun de 2011

MACEIÓ


"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade."


Já morei em muitas cidades e adotei cada uma delas como minha.......não foi diferente aqui......... hoje Maceió é a minha cidade.......e a cada dia aprendo mais sobre ela........a cada dia tenho mais respeito pelo seu povo e sua história.

O povoado que deu origem a Maceió surgiu num engenho de açúcar....... o nome Maceió tem denominação tupi "Maçayó" ou "Maçaio-k" que significa "o que tapa o alagadiço". ocupa uma área de 511 mil Km quadrados, e uma temperatura média é de 26 graus centígrados.........passou a ser sede do governo de Alagoas em 1839...... está localizada em três patamares.......a baixada litorânea, o terraço e o tabuleiro - variando de 40 a 50 metros de elevação em relação ao nível do mar.........cidade com 40 Km de litoral e 22 Km de lagoa e canais.



A população de Maceió é de 917.086 habitantes -censo de 2010- possui a quarta maior densidade demográfica do Brasil........exerce influência o estado de Alagoas e norte de Sergipe...... é  centro industrial, comercial e de prestação de serviços....


Maceió tem a orla mais bonita do nordeste...... praias emolduradas por coqueiros.......água morna e cristalina que oscila entre o azul e o verde.........jangadas com velas coloridas........piscinas naturais a 2 km da costa.........a maioria de suas praias são calmas .....mas tem também praias para o surf.

Mas.......Maceió não é só natureza.......também é cultura.......artesanatos e  gastronomia...... manifestações folclóricas.........museus.....teatros.....igrejas........arquitetura........alem dos bairros históricos Jaraguá e o Centro  - Jaraguá.....tombado pelo Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Alagoas é o berço da história e desenvolvimento de Maceió- preservam um conjunto arquitetônico e acervos que retrata a história da cidade.


Seu artesanato é rico e diversificado...... entre outros.......... temos aqui os trabalhos com fibras do coco e o filé-  renda tipicamente alagoana- .......que ocupam importante posição na economia da comunidade........as feirinhas e o mercado do artesanato são lugares únicos para se conhecer a cultura daqui e onde se pode saborear uma gostosa tapioca de banana com coco e canela.



Maceió é uma cidade apaixonante........trânsito louco de cidade grande e por outro lado a vidinha de cidade de interior que ainda guarda muito do seu passado no convívio de seus moradores que......em alguns bairros.....ainda põem as cadeiras nas calçadas durante as noites quentes para bater papo e jogar buraco.


10 de jun de 2011

ALAGOAS E SUA HISTÓRIA


Sempre quero me sentir parte dos lugares aonde vou.........é como quando leio livros...........passo a fazer parte da historia.........sou um dos personagens.....

Faço parte deste estado desde o início de 2010..........então também estou nesta história..........quero conhecer cada canto..........descobrir cada cidade...........entender a forma de pensar deste povo...........descobrir Alagoas indo..........não só por livro como diz Amyr Klink..........mas........na conversa com pescadores...............na historia do jangadeiro................conversando com as rendeiras..............participando das festas típicas e quantas coisas mais eu puder ver e fazer.

Quero mostrar que cada lugar que visitamos não é apenas mais um lugar.........mas........um lugar com passado........presente e futuro..........onde pessoas com diferentes historias de vida estão prontas a nos transmitir sua sabedoria..........mostrar que um lugar não é apenas a paisagem ou a arquitetura..........mas muito mais que isso..........um lugar é ........aquela historia que não foi contada...........a dança que foi ensinada por diversas gerações..........a comida típica ........os causos do povo...........os costumes...........os cheiros..........coisa que os olhos não observam............mas que faz a grande diferença para que possamos dizer....... conheço esse lugar.

Então começo a lhes mostrar um pouquinho do estado de Alagoas.......

Alagoas esta localizada na Região Nordeste do Brasil.......seu nome vem da grande quantidade de lagos existentes na região, ao redor de rios que banham o estado...... Sua população é uma miscigenação de franceses, holandeses, portugueses, negros e índios...........o estado tem 3.120.494 habitantes – censo de 2010-...........Maceió......capital de Alagoas.........é a cidade mais populosa do estado, possui 932.748  habitantes.

É o estado que tem o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil,..........média de 0,677....... seu desenvolvimento lento está  relacionado com sua colonização..............desenvolveu e consolidou sua economia, baseada nos engenhos de açúcar e na criação de gado, em que predominava o trabalho escravo de negros e mestiços.

Já foi o maior produtor de cana-de-açúcar da Região Nordeste........em 1730 já  possuía mais de cinquenta engenhos.............muito da sua característica econômica e social ainda vem do período colonial e ainda hoje depende das grandes plantações de cana-de-açúcar, que se estendem do litoral á Zona da Mata .........mas o baixo nível de mecanização e a pouca produtividade, tem registrado redução gradativa em suas safras durante os últimos anos............recebe benefícios do governo federal, desde a década de 60..... desenvolve também o setor industrial................exploração de petróleo e do sal-gema e outras indústrias de médio e pequeno porte.

Em 1630, Alagoas foi cenário da maior revolta de escravos da História do Brasil, sendo a sede do Quilombo dos Palmares chefiada por Zumbi...........o quilombo chegou a ter uma população de 30.000 habitantes que viviam em várias aldeias.

O quilombo resistiu 65 anos............foi destruído por Domingos Jorge Velho em 1694, e seu líder, Zumbi, morto no ano seguinte........... Muquém é uma das comunidades remanescente de Quilombos.

Alagoas abriga um litoral rico em belezas naturais.........com áreas de mangue e lagoas............praias belíssimas.............as mais bonitas do nordeste...........sua culinária é rica e diversificada, à base de frutos do mar.........o prato típico  do litoral é o  sururu, espécie de marisco retirado do fundo das lagoas  Manguaba  e Mundaú.........no sertão e agreste o prato é carne de bode.
 A capital Maceió é a mais visitada.........mas...........as cidades de Barra de São Miguel.........Barra de Santo Antonio............Paripueira........Maragogi.......entre outras cidades litorâneas ...........são muito agradáveis e a paisagem é maravilhosa.

Marechal Deodoro, Penedo, Piranhas, Delmiro Gouveia...........cidades históricas...............com museus e arquitetura riquíssima...........mas todas as cidades de Alagoas são lugares para se conhecer .........agreste e  sertão.......... e também o histórico Rio São Francisco.... –foz e cânion e o Canal do Serão-...........Palmeira dos Índios..........Arapiraca......-.segunda maior cidade de Alagoas -.........e tantas outras.

No próximo post contarei um pouco da capital Maceió.