23 de fev de 2010

MARECHAL DEODORO

Saímos de Massagueira e seguimos para Marechal Deodoro, antiga capital de Alagoas, lugar onde nasceu Deodoro da Fonseca, que no ano de 1889 tornou-se primeiro presidente do Brasil. Marechal Deodoro localiza-se na margem direita da lagoa Manguaba. Foi fundada no início do século 17, quando os colonizadores portugueses estruturaram a comunidade para evitar o contrabando de pau-brasil na costa brasileira. Sua população estimada é de 45.141 habitantes e esta a cerca de 30 quilômetros de Maceió. É uma cidade com um grande valor histórico, conta com um rico patrimônio arquitetônico que compreende prédios, igrejas e monumentos históricos nos estilos barroco e colonial, demonstrando a influência dos povos portugueses, holandeses e franceses, que fundaram e habitaram por décadas este município. As tradições populares, alguns costumes e o artesanato são atividades importantes na cidade não só como um potencial cultural, mas também como uma grande fonte de geração de emprego e renda. No artesanato mulheres artesãs usam agulhas e linhas para tecerem ou bordarem as rendas, labirinto, filé entre outros tipos de artesanatos. Também são confeccionados por outros artesãos trabalhos em madeiras e palhas. A cidade é bem bonitinha com prédios históricos bem conservados e pintados com o colorido forte usado no nordeste. As casas também são antigas, mas bem conservadas.. Vi muitas casas abertas vendendo artesanato, não paramos, mas não vai faltar oportunidade, a cidade é bem pertinho de Maceió

21 de fev de 2010

MASSAGUERA


¨Uma viagem de mil milhas começa com um único passo.¨


Lao-Tsé




Saímos no comercio de manhã e depois como ainda era cedo, resolvemos conhecer mais um pouco do litoral sul de Alagoas, entramos em Massagueira. 


O nome Massagueira vem do tupi-guarani e significa “lugar que foi alagado”, assim como o vocábulo Maceió, vem de Massaió, que quer dizer “barragem”. Massagueira fica no município de Marechal Deodoro, à 15 km de Maceió, à 5 km da praia do Francês e distante 10 km de Marechal Deodoro.

Foi formada a partir de uma antiga colônia de pescadores, é banhada pela lagoa Manguaba, com coqueirais, canais e manguezais.



Possui bons restaurantes na beira do lago, almoçamos no Restaurante do Pato, o cardápio como o nome diz tem pratos variados com carne de pato e peixes.Comida ótima, chegamos tinha pouca gente mas quando saímos já estava lotado.


Destacam-se também os deliciosos doces caseiros, suspiros, broas e cocadas de vários sabores, que são vendidos em barraquinhas de palha à entrada do povoado. Além do artesanato em renda de filé, com peças multicoloridas e variadas.

RETIRO DE CARNAVAL

¨Viajar é mudar a roupa da alma¨ 
Mário Quintana


Nos feriados do carnaval queríamos fugir do agito e ficamos entre Maceió e Garanhuns- Pernambuco. Garanhuns é uma cidade na serra, tipo Campos do Jordão, no estado de São Paulo, tem festival de inverno e nos dias de carnaval tem festival de jazz, aberto ao publico com nomes famosos do Brasil e do exterior.




Mas esse passeio acho que vai ficar para o inverno mesmo. No fim resolvemos ir para Arapiraca, num retiro da igreja Verbo da Vida, igreja que estamos frequentando aqui em Maceió.


Saímos em comboio do Hotel Matsubara, onde funciona a igreja, às 12 horas e 30 minutos, apenas 128 km, mas com alguns contratempos, chegamos ao hotel Sol Nascente, local do retiro quase às 16 horas, hotel não de luxo, mas relativamente confortável.


Igreja Verbo da Vida Praia - funciona no Bairro Cruz das Almas , ultima praia urbana de Maceió, tem apenas 9 meses de vida e esse foi o primeiro acampamento de carnaval e o segundo evento da igreja. Foi ótimo, tivemos como pregador todos os dias o pastor Natan Rufino e a sua esposa Ana Gaia como ministra do louvor.


São muito jovens, ele é bem novo e ela tem 27 anos, uma bênção. Valeu todos os dias pela Palavra que recebemos e pelas amizades firmadas por lá.

Agora nos matriculamos no RHEMA, que é uma escola para formar lideres, para pregar a palavra. O curso tem a duração de 2 anos e tem aulas 3 vezes por semana, com férias em julho e dezembro. Fizemos nossa matricula na sexta e assistimos aula inaugural e segunda começaremos firmes. 

Queremos aproveitar esse tempo e oportunidade que Deus nos deu para aprender mais sobre Ele e nos fortalecer.

PASSANDO POR ARAPIRACA

"Viajar é estar aberto ao novo, aos outros e a ver a vida com outros olhos" Cristiane Galvão


No carnaval fomos para Arapiraca no agreste alagoano, quase começo do sertão.
 

Arapiraca é a principal cidade do Agreste Alagoano com aproximadamente 210.447 habitantes, é atualmente a segunda cidade mais populosa do estado depois de Maceió, a qual se distancia 128 quilômetros. 


É conhecida como a "Capital do Fumo" por ser o maior produtor de fumo do país.
 


Arapiraca é o nome de uma árvore da família das Leguminosas Mimosáceas - uma espécie de angico branco muito comum no Agreste e no Sertão.

Cidade esparramada, muito quente durante o dia, mas como está na serra, a noite refresca bem. Apesar dos seus 210 mil habitantes quase não tem prédios e a cidade tem aparência de cidade pequena.

18 de fev de 2010

AMO VIAJAR E PERCEBER O QUE ESCONDE CADA LUGAR....

¨Amo viajar e perceber o que esconde cada lugar pelas calçadas, pelas pedras do caminho, pela poeira no ar, nos sorrisos dos habitantes, nas cores e sabores, que a gente encontra pelo caminho.¨

Lena Mota


Recebi um comentário sobre como foi interessante conhecer um pouco do estado de Alagoas pelo meu ponto de vista. Isso me fez refletir sobre a maneira como estou escrevendo, e o que de fato estou transmitindo. 

O estado de Alagoas é bem pequeno, principalmente nós que estamos acostumados a rodar bastante, para nos 160 km é nada, para as pessoas daqui é muito, principalmente porque a maioria da população nunca saiu da cidade onde nasceu. 

Alagoas está na região nordeste é muito diferente dos estados do sul e sudeste, onde a historia da colonização é mais parecida. Aqui os senhores feudais sempre tiveram o poder de mando, como diz o ditado popular “MANDA QUEM PODE, OBEDECE QUEM TEM GUIZO”, isso refletiu na cultura da região, nos costumes, historia e outras tantas coisas mais. 

Alagoas é um estado rico em historia, encontramos por todos os lados, tanto na capital Maceió como nas pequenas cidades e vilas de pescadores, casas e prédios ainda com suas características originais, mas a população não preserva porque não entende a sua importância. Mas, Alagoas tem mais do que o patrimônio material, ela tem a cultura viva dos ensinamentos dos antigos, na pesca, no artesanato, na renda, nas cantigas, na alimentação e tantos outros fatores. 

O turismo aqui explora só as belezas naturais, tanto no interior como na capital e o artesanato de maneira geral. Aqui não se leva turista para conhecer os pontos históricos, os museus os edifícios, o mercado do artesanato e muito menos o mercado no centro, com sua característica tão diferente daquilo a que estamos acostumados. 

Não tem por aqui uma política voltada ao turismo cultural. Voltando ao inicio da nossa conversa, descobri que a minha visão de Maceió e de Alagoas não é uma visão de turista e nem de morador, mas uma mistura dessas duas. 

Como moramos vemos os problemas como moradores, mas como conhecemos outras culturas e costumes podemos perceber as deficiências que talvez a população local não perceba, e como turista, da mesma forma, podemos comparar outra regiões e avaliar a infra-estrutura os serviços e etc. Mas, mesmo com todos os problemas, Maceió é um lugar muito bom para morar, é como se cada bairro fosse uma cidadezinha independente.

8 de fev de 2010

PREVIA DE CARNAVAL EM MACEIÓ

¨Mudar de ares é como nascer e novamente ter oportunidade da emoção das descobertas.¨



Aqui em Maceió é muito forte a previa de carnaval. 

Tem previas na cidade inteira em vários bairros. Aqui na orla foi neste sábado, começou às 9 horas da manhã e terminou às 22 horas. Ainda bem que não começou em frente de casa, mas a 500 metros daqui, mas o som estava bem forte. 

Desfilaram 15 carros alegóricos e o bloco Pinto da Madrugada que comemorou dez anos. Muito da festa mas não vimos, fomos ao centro comprar um tecido para colocar no sofá, mas a tarde saímos na orla para ver o movimento, por pouco tempo, não dava para ficar perto do fervo, voltamos para casa mas tivemos que ficar escutando todo o barulho ate as 22 horas. 

Domingo fomos à praia aqui em frente mesmo. Na praia os barraqueiros alugam cadeira e guarda-sol (cadeiras 2,00 reais e se fora 1 guarda sol e 2 cadeiras 5,00 reais). Isso é bom, assim não precisamos carregar nada.

2 de fev de 2010

RÁPIDA VOLTA PELO LITORAL NORTE DE ALAGOAS

¨Viagem transforma. Quebra preconceitos e nos torna humildes. A maior transformação da viagem é a que acontece dentro de nós mesmos.¨



Sábado fomos conhecer um pouco mais do litoral norte de Alagoas. A população daqui diz que o litoral norte é bem mais bonito que o litoral sul. Realmente as praias são muito bonitas, mas os vilarejos muito pobres. 

Compramos a Gazeta de Alagoas domingo, a manchete é “Analfabetismo, pobreza e mortalidade infantil desafiam AL”. Aqui há muitas favelas e muitas grotas. Grotas são espécies de vales urbanos, depressões, descidas. 

Em Maceió, há pelo menos 380 mil pessoas morando nessas localidades ( dados de dez de 2009). Nessas regiões onde dificilmente a polícia entra, impera a lei do silêncio e do poder de fogo dos que controlam as drogas. O estado se mantém detentor dos piores indicadores sociais dos pais, a pobreza atinge 60,42% dos alagoanos e detém o primeiro lugar em analfabetismo, a expectativa de vida é de 66 anos. 

A natureza aqui é muito bonita, o mar verde claro e morno, tem dias que a gente mesmo no fundo consegue ver os pés, mas a infra estrutura e a cultura...

Voltando ao nosso passeio ........ As cidadezinhas têm na sua maioria, casas antigas e a maioria das casas novas são feitas de pau-a-pique (também conhecida como taipa de mão, que consiste no entrelaçamento de madeiras verticais fixadas no solo, com vigas horizontais, geralmente de bambu amarradas entre si por cipós, dando origem a um grande painel perfurado que, após ter os vãos preenchidos com barro, transformava-se em parede. 

Pode receber acabamento alisado e receber pintura de caiação. As casas são muito pequenas, com teto bem baixo e a maioria não possui lavanderia nem tanque, existe lavanderias comunitárias, com 2 banheiros e mais ou menos 5 tanques e as mulheres estendem as roupas na frente das casas na calçada ou nos galhos de arvores, quando lavam a roupa no rio. 

Essas casas não tem quintal e muitas não tem pia na cozinha, lavam a louça em pias improvisadas do lado de fora da casa. O esgoto na maioria dos lugares esta a céu aberto passando pelas portas das casas, muitas vezes na frente de frutarias, bares e lanchonetes, e as pessoas ficam ali também para conversar e etc. Mesmo na cidade de Maceio muitos bairros estão assim.

Na estrada, vimos uma casa sendo construída de pau a pique, descemos fomos ver e conversar com os pescadores que a estão construindo, a família toda estava trabalhando, eles pegaram a madeira da mata e a prefeitura vai levar o barro de caminhão.

Lugares por onde passamos

Paripueira é um município, situado 27 Km ao norte de Maceió. está localizado na Costa dos Corais, e é sede do Parque Municipal Marinho de Preservação do Peixe Boi, lugar onde encontra-se a maior concentração de Peixes-Boi marinhos de todo o nordeste brasileiro, único na America Latina. Paripueira esteve ocupado inicialmente por tribos indígenas, das quais recebe seu nome que significa 'Praias de Águas Mansas'. 

Mais tarde formou uma colônia de pescadores que cresceu, graças a sua proximidade com a cidade de Maceió.

São Luis do Quitunde foi originado de uma pequena aldeia indígena, descoberta em 1624 pelo holândes Albert Sourth. Fica na serra e sua população trabalha com artesanato e nas plantações de cana de açúcar que estão a sua volta. 

Passo de Camaragibe , seu nome tem origem na existência de seus armazéns de embarque, denominados passos e no nome do Rio Camaragibe é o lugar onde nasceu o famoso lexicógrafo Aurélio Buarque de Holanda. Seu principal núcleo turístico é a Praia de Barra do Camaragibe, além das suas praias possui sua grande variedade de ecossistemas como rios, lagunas e frondosos mangues e suas praias são em sua maioria selvagens. 

São Miguel dos Milagres é um dos povoados mais antigos do Estado de Alagoas. Povoado simples de pescador é um dos poucos lugares de Alagoas onde as características sociais e naturais seguem inalteradas, sua principal fonte de renda é a agricultura e a pesca. 

Porto de Pedras, situado à pouco mais de 70 km a norte da capital de Maceió, na margem direita do Rio Manguaba, foi habitado ao longo da sua história por numerosas tribos indígenas, a maioria delas dedicada a agricultura, sobre tudo a cana-de-açúcar, e a pesca. Posteriormente no século XVI foi colonizado pelos portugueses e mais tarde ocupado pelos holandeses.. Seus principais atrativos são: suas belas praias situadas na bela Costa dos Corais, rodeadas de coqueirais e com uma frondosa vegetação cheia de mangues, a grande maioria com piscinas naturais. 

Tatuamunha (nome indígena que significa tatu pequeno). Povoado pequeno na praia do mesmo nome. Sem muita infra-estrutura, a praia é pouco frequentada por turistas, ficando praticamente deserta na maior parte do tempo.